segunda-feira, 19 de maio de 2008

Fim

Fugi de casa. Corri para o campo dos sonhos- cheiro verde, pétala macia-, onde jogo corpo e pensamento esvoaçante.
Grito livre, brisa ao rosto, não há o desgosto de tempo finito- gosto suave de eternidade.
Gotículas celestes refrescantes atingindo a pele, sete cores misturadas ao longe, sol esquentando a paz, arco-íris no sorriso inevitável, olhos fechando junto ao suspiro- símbolo indiscutível de fim da angústia.
Mais um é expelido dos pulmões, saindo vagarosamente da boca, como um surrurro, aliviando a alma. E mais um... E o coração, tendo encontrado enfim o seu descanso, satisfeito, desacelerando, parou de bater.
Fim.

2 comentários:

Ulisses Martins disse...

Que bom vê-la escrevendo novamente. Lindo!!
Pena que nosso blog não engrena!
Vamos lá!!!

Beijão!

Tarcizio disse...

O que eu posso dizer? Minha poetisa favorita :)


Beijo!